A Queiroz Galvão Óleo e Gás S.A. (QGOG), então denominada Queiroz Galvão Perfurações, foi fundada em janeiro de 1980, época da segunda crise mundial do petróleo. No início, enfrentou desafios, tais como acompanhar o crescimento da atividade no Brasil e desenvolver-se no segmento da indústria de prestação de serviços de perfuração de petróleo e gás.
Acompanhe nossa linha do tempo:

 

A Fundação

A Queiroz Galvão Perfurações S.A, hoje Queiroz Galvão Óleo e Gás S.A. (QGOG) é fundada e inaugura a primeira base da empresa, em Maceió (AL).

As Primeiras Operações Onshore

Início da operação das sondas terrestres QG-I e QG-II, que perfuram poços para a Petrobras em Alagoas e Sergipe.

Expansão das Operações Onshore

A Queiroz Galvão Óleo e Gás vence mais uma licitação da Petrobras para fornecer e operar uma sonda helitransportável na Região Amazônica. Por isso, adquire a QG-III em Cingapura.

Para dar suporte à operação na Amazônia é inaugurada a base da QGOG em Manaus.

Início da Atuação Offshore

Início da operação da plataforma semissubmersível Alaskan Star, contratada para operar para a Petrobras na Bacia de Campos.

Quarta Sonda Onshore em Operação

Construída na Austrália, a sonda helitransportável QG-IV chega à Manaus para operar para a Petrobrás na Região Amazônica.

Ocorre a abertura do setor de óleo e gás para a iniciativa privada no Brasil.

Criação do Departamento de Exploração e Produção (E&P) dentro da QGOG*.

*Com o processo de crescimento da empresa, o negócio de E&P tornou-se independente, dando origem, em 2010, à Companhia Queiroz Galvão Exploração e Produção (QGEP).

Expansão da Atividade de Perfuração Offshore

Início da operação da plataforma semissubmersível Atlantic Star, que já operava para a Petrobras na Bacia de Campos.

Consolidação da Atividade de Perfuração Offshore

A empresa inaugura a base operacional de Macaé, consolidando sua atuação no segmento de prestação de serviços de perfuração offshore.

Modernização da frota

Submetida a um upgrade, a Olinda Star veio a se transformar na plataforma ancorada para águas profundas mais moderna do país.

A QGOG estabelece uma parceria estratégica com a SBM (Single Buoy Moorings Offshore N.V.) para operar FPSOs para Petrobras.

Expansão das Atividades para Águas Ultraprofundas e  Início das Atividades em Plataformas de Produção (FPSO)

Reflexo do seu progresso no setor e da diversidade de sua atuação, a Queiroz Galvão Perfurações S.A. passa a se chamar Queiroz Galvão Óleo e Gás S.A.

A QGOG ganha licitação para operar duas plataformas de águas ultraprofundas e uma plataforma de águas profundas para a Petrobras: Gold Star, Lone Star e Olinda Star.

A QGOG começa a executar a parceria estratégica com a SBM (SBM Offshore N.V.), através do FPSO Capixaba, que começa a operar no Campo de Golfinho.

Onshore: Maior Capacidade de Perfuração no País

Construídas na China, as sondas terrestres QG-VI* e QG-VII* chegam à Região Amazônica, para operar para a Petrobras.

*Consideradas na época as mais modernas e de maior capacidade de perfuração onshore em atuação no Brasil.

Ultrapassando a Barreira das Águas Profundas

Início da operação da Queiroz Galvão na perfuração em águas profundas, com a Olinda Star.

A plataforma Gold Star é batizada e recebida, em Cingapura. Ela é a primeira plataforma semissubmersível de posicionamento dinâmico para águas ultraprofundas da companhia.

Também em Cingapura, tem início a construção da plataforma Alpha Star, com um projeto semelhante ao da Gold Star.

30 Anos de História: Início da Operação em Águas Ultraprofundas

A Queiroz Galvão Óleo e Gás completa 30 anos ininterruptos de história no setor de petróleo e gás brasileiro.

A plataforma Gold Star começa a perfurar o pré-sal da Bacia de Santos.

Acontece, em Abu Dhabi, o batismo e o recebimento da segunda plataforma semissubmersível de posicionamento dinâmico da companhia, para perfuração em águas ultraprofundas, a Lone Star.

No campo de Baleia Franca, na Bacia do Espírito Santo, o FPSO Capixaba é responsável pela produção contínua, pioneira no pré-sal brasileiro.

Novos projetos onshore: na China, é iniciada a construção das sondas helitransportáveis QG-V, QG-VIII e QG-IX.

Novos projetos offshore: na Coréia do Sul, é iniciada a construção de dois navios-sonda.

Mais duas unidades FPSO em construção, em parceria com SBM e a BWO: Cidade de Paraty e Papa-Terra*, respectivamente

*O Grupo QGOG e BWO vão em conjunto oferecer serviços de operação do FPSO Papa Terra para a Petrobras.

Crescimento na frota de unidades operadas pela QGOG

Acontece, em Cingapura, o batismo e o recebimento da terceira plataforma semissubmersível de posicionamento dinâmico para águas ultraprofundas, a ser operada pela empresa, a Alpha Star.

Construídas na China, as sondas terrestres helitransportáveis QG-V, QG-VIII e QG-IX chegam à Região Amazônica, para operar para a Petrobras em regiões remotas de difícil acesso.

As sondas terrestres QG-II e QG-I superam recordes de segurança, com cinco e quatro anos, respectivamente, sem acidentes de trabalho com afastamento.

Alaskan Star e Atlantic Star começam o ano de ‘cara nova’, depois de passarem por obras de manutenção e upgrade.

A empresa completa a mudança da base operacional de Macaé, para Rio das Ostras, no estado do Rio de Janeiro, em uma área de 46 mil metros quadrados, quase 60% maior que a antiga.

Novos projetos

Chegada dos navios-sonda para águas ultraprofundas Amaralina Star e Laguna Star.

Assinatura de contrato para operação de três novas unidades em parceria com a Sete Brasil.

Assinatura de contrato para operação do FPSO Cidade de Ilhabela em parceria com SBM.

Novos projetos

Início das operações dos FPSOs Cidade de Paraty e P-63.

Novos projetos

Início das operações do FPSO Cidade de Ilhabela.

Novos projetos

Chegada do navio-sonda de última geração para águas ultraprofundas, Brava Star, o terceiro a ser operado pela companhia.

 
Última atualização em 24/10/2012